Files

Action Filename Size Access Description License
Show more files...

Abstract

A Acacia mearnsii De Wild, conhecida regionalmente por Acácia Negra é uma árvore de origem australiana que chegou ao Brasil em 1918 no estado do Rio Grande do Sul. Atualmente, cerca de 40.000 produtores familiares plantam florestas de Acácia Negra para fins comerciais, totalizando algo em torno de 150 mil hectares de reflorestamento, concentrados unicamente na região Sul do Brasil. Esta produção alimenta duas indústrias florestais no Brasil, a TANAC S.A. e a SETA S.A. Estas indústrias desenvolvem produtos que servem como matéria-prima para atender a diversos setores industriais, especialmente no mercado internacional. Neste contexto percebem-se grande parte das ações orientadas pelo paradigma econômico que, tendo a sua frente o desafio da globalização acaba atendendo a um número cada vez mais restrito de stakeholders e gerando preocupações em termos de sustentabilidade. No trabalho analisou-se como está sendo feita a gestão das propriedades rurais dos produtores florestais de Acácia Negra com base na proposição de Shrivastava (1995), que propõe duas lógicas de gerenciamento: o modelo tradicional e o modelo ecocêntrico. O resultado é a verificação de uma orientação predominantemente econômica, com alta dependência do segmento industrial e valores antropocêntricos. Contudo, foram evidenciadas variações por parte dos acacicultores em termos de valores, objetivos, necessidades e interesses. As motivações e implicações das escolhas gerenciais dos produtores são discutidas a partir da inclusão de outros agentes como: sindicatos rurais, associações e indústrias.

Details

Downloads Statistics

from
to
Download Full History