Posicionamento estratégico nas negociações da ALCA, usando o conceito de proteção efetiva na montagem da oferta tarifária brasileira

O Brasil joga a sua capacidade de exportar e o futuro de sua inserção “competitiva” no mundo em três negociações-chave: OMC, ALCA e Mercoeuro. Tem esquecido de posicionar-se estrategicamente para fortalecer sua competitividade no curto, médio e longo prazo. A competitividade do setor agropecuário, entre outros fatores, depende do seu nível de proteção efetiva, isto é, a proteção do produto final depende de um nível compatível com a proteção aos insumos. Este estudo analisa uma parte da proposta de ofertas tarifárias brasileiras, no âmbito da ALCA, tendo como argumento principal os níveis de proteção efetiva. A primeira parte trata da proteção conferida aos insumos, máquinas e equipamentos usados na agropecuária, diante da proteção dos produtos agropecuários finais, e a análise é feita com a Tarifa Externa Comum (TEC). A segunda trata dos níveis de proteção outorgados a máquinas, equipamentos e componentes industriais da indústria de alimentos. O estudo mostra a dificuldade, no Brasil, de se conduzirem negociações com os setores industriais que ofertam insumos ou fornecem máquinas às agroindústrias brasileiras.


Variant title:
Strategic positioning in the FTAA negotiations, using the concept of effective protection in assembling the Brazilian tariff offer
Issue Date:
2003
Publication Type:
Journal Article
DOI and Other Identifiers:
ISSN 1679-1614 (Other)
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/56845
Published in:
Revista de Economia e Agronegócio / Brazilian Review of Economics and Agribusiness, Volume 01, Number 1
Page range:
75-88
Total Pages:
13




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-08-25

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)