REVESES À QUESTÃO TERRITORIAL NA REGIÃO DE IRECÊ, BAHIA

O uso da expressão território ganha espaço no Brasil com a nova orientação política federal, a partir de 2003. Nesse contexto, as ações estratégicas do Estado para o desenvolvimento tendem a não mais considerar o município isoladamente. Como estímulo, tem-se a liberação de recursos vinculados ao território pelas instituições públicas de crédito e financiamento. No entanto, a permanência de práticas como a liberação de recursos mediante o grau de articulação política dos municípios causa desconfiança e desmotivação quanto à manutenção do território. Surgem grupos de municípios que se articulam entre si de forma independente. Neste artigo analisam-se esses fatos apresentados como reveses à questão territorial. A partir das experiências na região de Irecê (Bahia) observa-se que ainda existem ações objetivando a melhor compreensão e funcionamento do território, como por exemplo, a capacitação dos representantes municipais e a imparcialidade das instituições internas com poder de decisão. Percebe-se que, executando-se tais ações, tornam-se possíveis a viabilidade administrativa e a manutenção do território.


Issue Date:
2006
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/149245
Total Pages:
15




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-08-27

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)