O PROCESSO DE INOVAÇÃO E DE ESTRATÉGIA DE COOPERAÇÃO COMPETITIVA PARA A OBTENÇÃO DA INDICAÇÃO DE PROCEDÊNCIA VALE DOS VINHEDOS: O CASO DA VINÍCOLA CORDELIER - SERRA GAÚCHARS/ BRASIL

O Rio Grande do Sul é responsável por, aproximadamente, 90% da produção de vinhos do país caracterizado hoje com 42.902.608 litros de vinhos finos e 313.962.284 de vinhos comuns. O grande desafio do arranjo vitivinícola do estado é o aumento da competitividade dos vinhos finos nacionais.Isso poderá ocorrer por medidas de reduções tributárias, pelo aumento do consumo per capita brasileiro de vinho e, principalmente pela implementação de inovações e estratégias que promovam a melhoria da qualidade dos vinhos e por meio de medidas jurídicas que atestem essa qualidade como as indicações geográficas. Constata-se que na região do Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha/RS/Brasil, as vinícolas estão implementando inovações e estratégias de competição e cooperação com vistas à obtenção anual da indicação de procedência para os vinhos finos. Nesse contexto, esse paper tem como objetivo identificar as inovações e estratégias que têm sido desenvolvidas por uma vinícola do arranjo vitivinícola gaúcho para a obtenção da Indicação de Procedência Vale dos Vinhedos - IPVV. Para a análise do processo de inovação aplica-se um framework proposto com base nos modelos adaptados de Giget (1997), Henderson e Clark (1990), Afuah e Bahram (1995) e Nalebuff e Brandenburger (1996), o qual permite o estudo dos tipos, intensidades e impactos das inovações na rede de valor da empresa focal. Para o estudo das estratégias aplica-se o framework de Dagnino e Padula (2002) que possibilitam classificar as estratégias de cooperação competitiva. O método da pesquisa é o estudo de caso aplicado a Vinícola Cordelier, uma das maiores vinícolas produtoras de vinhos, localizada no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha-RS/Brasil. Os dados foram coletados através de quatro entrevistas realizadas como os gestores e enólogos. Constata-se que a empresa desenvolve inovações de produto, processo, distribuição e gestão, em diferentes níveis de intensidade, dimensionados num continuum entre incremental e radical. Percebe-se também que estas inovações geram diferentes impactos sobre os stakeholders que compõem a rede de valor da empresa. A estratégia de cooperação competitiva predominante é a em rede simples, representada pela associação de empresas de vinhos finos, a qual possibilitou a outorga da IPVV.


Issue Date:
2006
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/148519
Total Pages:
16




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-08-27

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)