CONDIÇÕES E ACESSO À SAÚDE ENTRE OS OCUPADOS NOS SETORES AGRÍCOLA, INDUSTRIAL E SERVIÇOS: UMA ANÁLISE REGIONAL EM ANOS RECENTES, 1998 E 2003.

O estudo efetua análise da evolução do perfil das condições de saúde e acesso a serviços em saúde entre as pessoas ocupadas no setor agrícola, industrial e serviços, para o agregado do Brasil e suas grandes regiões entre os anos de 1998 e 2003, procurando destacar as diferenças regionais. A base de dados se constitui de informações extraídas da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que nos anos de 1998 e 2003 contemplou em seu Suplemento Especial o tema da Saúde. A análise da condição da saúde e do perfil de acesso e utilização dos serviços em saúde é desenvolvida através de análise exploratória de dados, fundamentada em métodos da estatística descritiva. De um modo geral, verificou-se que não houve substanciais diferenças intersetoriais e regionais quanto ao estado de saúde, obtido através do ponto de vista da própria pessoa. Entre 1998 e 2003 houve um aumento relativo do número de pessoas que declararam possuir o hábito de procurar pelo mesmo serviço de saúde, indicando que uma maior parcela de pessoas foram incorporadas ao sistema de saúde brasileiro, seja privado ou público, em todas as regiões do país. Com relação ao perfil da utilização e financiamento por serviços de saúde, as regiões Norte e Nordeste colocam-se em direções opostas ao estado de São Paulo e regiões Sul e Centro-Oeste. São Paulo, o estado que mais se beneficiou de todo o processo de expansão industrial do país, destaca-se por apresentar financiamento de seus serviços de internação hospitalar através de planos de saúde e pela maior concentração de pessoas possuidores de planos e seguros de saúde. Segue-se a esse estado a região Sul, os demais estados do Sudeste e Centro-Oeste. De modo geral é preciso destacar a inequívoca dependência dos trabalhadores ocupados nos setores industrial e serviços, e principalmente, entre os agricultores, relativamente ao sistema público de saúde, o que implica que o SUS é essencialmente importante no financiamento de saúde entre esses trabalhadores, pois percentuais elevados de pessoas recorrem a esse sistema para atendimento básico de saúde e atendimento de média e alta complexidade.


Issue Date:
2006
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/148144
Total Pages:
21




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-12-10

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)