COOPERAÇÃO E PROPENSÃO AO EMPREENDEDORISMO: VICISSITUDES NO APL DE PISCICULTURA, REGIÃO DO BAIXO SÃO FRANCISCO NO ESTADO DA BAHIA.

O estudo das aglomerações produtivas, mais comumente chamadas no Brasil de Arranjos Produtivos Locais, ou apenas “APLs”, ganhou impulso nas últimas décadas em virtude da importância de algumas experiências bem-sucedidas de desenvolvimento de capacitações produtivas e empresariais nesse tipo de organização territorial da produção. Além disso, essas estruturas produtivas localizadas passaram a ser crescentemente foco da atenção de diversos órgãos públicos e instituições por meio de ações e medidas de apoio e ao desenvolvimento da competitividade das empresas locais.O trabalho teve como objetivo avaliar as aderências dos casos do APL de piscicultura, do Baixo São Francisco no Estado da Bahia, município de Paulo Afonso, ao modelo ideal de APL e, com isso, minimizar eventuais riscos de baixo retorno aos investimentos efetuados. A investigação foi procedida com um levantamento das características desse APL, englobado pelo programa de promoção com financiamento do BIRD, seguido de uma avaliação sobre as possibilidades concretas para vir a se constituir em ambiente propício à gestão da inovação tecnológica, seja pela propensão à ______________________________________________________________________ Rio Branco – Acre, 20 a 23 de julho de 2008 Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural cooperar genericamente, como pela propensão à assumir riscos empresarias e à empreender com vistas a inovar, todas elas inseridas em uma estrutura de rede com uma práxis de boa governança, principalmente participar de projetos comuns de P&D.


Issue Date:
2008-07
Publication Type:
Conference Paper/ Presentation
PURL Identifier:
http://purl.umn.edu/109817
Total Pages:
19




 Record created 2017-04-01, last modified 2017-08-26

Fulltext:
Download fulltext
PDF

Rate this document:

Rate this document:
1
2
3
 
(Not yet reviewed)